Arquivo | Songs, Bruises and Blood! RSS feed for this section

DATABASE NO RIO

30 ago

A dupla queridinha Database,  acolhida pela label francesa Kitsunè Maison (selo que já lançou  artistas como Two Door Cinema Club, Phoenix, La Roux, Klaxons,  Digitalism e Classixx), toca sábado no Rio de Janeiro, na festa QUE SE SHUFFLE.  Suas produções incluem remixes oficiais para projetos como Fatboy  Slim(the BPA), Mix Hell, Jamaica, Copacabana Club, Neon Indian,  NASA, Larry Tee, Metronomy e desconstruções de clássicos como  Ritchie Family e George Benson.

Além do duo, tocam na festa, o espetaculoso DJ NEPAL – reconhecido por suas seleções musicais ecléticas e inovadora, uma peculiar mistura de referências e ritmos: nu disco, acid, electro, funky , soul , disco music e grooves de funk70 –  e o jovem e talentoso produtor STRAUSZ, que tem suas referencias no humor negro, zumbis tarados, monstros espaciais, faroeste, videogame e no planejamento recreativo do fim do mundo! (OBS: o Monstro estará presente na festa!)

 

Nos vemos sábado na Comuna =)

 

Serviço:

QUE SE SHUFFLE
#2 – A Missão

do YO ao YÊ YÊ YÊ – os djs escancaram suas cases em prol da sua diversão. no rules. free piroquinha. que se shuflle.

Sábado, 1º de setembro 2012
23h

Ingresso
R$20,00 Lista até 0h
R$30,00 Lista após 0h
R$40,00 Normal

pagamento da entrada apenas em dinheiro

Lista: enviar nomes para loulou.chavarry@gmail.com até 18hs de sabado.

Comuna
Rua Sorocaba, 585 – Botafogo.

Link do evento: https://www.facebook.com/events/485795671433312/

 

FESTIVAL CIRCO DIGITAL

18 jun

A terceira edição de festival discute arte, tecnologia e sustentabilidade com programação paralela à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio + 20

Pelo terceiro ano, o Circo Voador apresentará o Festival Circo Digital (FCD). Entre os dias 21 e 24 de junho, a lona da lapa abrigará uma explosão de pixels em cores e criatividade. Nesta edição, além de trazer novidades em tecnologia e games, o festival traz uma programação musical arrojada com três equipes de sound system, DJs e bandas que trazem a cultura digital em sua essência. Durante o FCD, o Circo Voador lança, em parceira com a Futura Soluções Ambientais, uma campanha permanente de coleta seletiva de lixo eletrônico. Para estimular o descarte consciente, a entrada do FCD é uma peça eletrônica sem uso.

 

Programação:

#Exposições interativas:

Transcendência de ouro, Flávio Lazarino: A instalação nasce da reflexão sobre a cultura digital e a natureza. O artista apresenta um labirinto em espiral, onde o espectador vive sensações sonoras e visuais.

Time Shadow, Julio Lucio Martin: A vídeo-instalação interativa cria um diálogo entre ‘o dentro’ e ‘o fora’, numa tentativa de transpor o muro que separa o Circo Voador da Rua Mem de Sá. A obra cria duas perspectivas que transitam entre o passado e o presente, entre o dia e a noite. Colaboração: Quito.

Astro Frotas, Raul Smith: A instalação arquitetônica cria um ambiente imersivo através de um planetário. A obra demonstra a capacidade de imaginar ambientes inusitados e instigantes, a partir de processos digitais que surgem na interseção entre a arquitetura e a arte.

Encontros_Digitais: Bicicletorama, Super Urber: A instalação é um jogo que mistura a realidade com o virtual, utilizando a mecânica clássica do autorama, onde o jogo multiplayer é projetado no chão e a pista é definida por elementos sólidos reais.

Personal Ogam, Bernardo Marques: A projeção mapeada remete à prática dos sacerdotes de invocar energias pelo toque do atabaque. Nesta obra interativa, o espectador convoca e controla a sequência de mídias de acordo com o toque.

Dance Everywhere, César Baio: Essa instalação telemática abre a pista de dança do Circo Voador para o público na internet. Pessoas on-line podem participar da mesma festa e interagir com quem está na pista.

Passos Notáveis, Liliu: A instalação interativa transforma uma das escadas do Circo Voador em um grande teclado em espiral. Ao pisar nos degraus, o espectador ativa sensores que desencadeiam ações multimídia.

AbraSom, Trelles e Fernanda Gomes: Através de abraços, o público aciona diferentes elementos no ambiente; luzes, sons e versos.A instalação interativa faz parte do projeto Lua de Mel, que busca experimentações de linguagens dentro das artes visuais e da poesia. Colaboração: Cesar Baio e Poli Gomes.

# Projetos de arquitetura:
Vivendo Vila Mimosa – Cidade das Meninas, Guilherme Ripardo: Projeto desenvolvido para melhorar as condições de vida da população da Vila Mimosa. A criação de um novo bairro supriria a região com posto de saúde, creches, áreas de lazer, centros profissionalizantes e centro cultural.

Operação Barra Megamix, Studio-X e Estúdio Sangue Bom: As pranchas apresentam o trabalho desenvolvido pelo Estúdio Sangue Bom, da Escola de Arquitetura e Planejamento e Preservação da Universidade de Columbia, em sua quarta incursão pelo Rio. Nesta edição, os alunos exploram o espaço abandonado do parque Terra encantada.

# Programação Musical:

Quinta-feira, dia 21/06

Nuvem: Os encontros mágicos flanando pelo Rio, com sistema de som sobre bikes da Nuvem, pedalam até o Circo Voador para fazerem a abertura do Circo Digital. Unindo nossos corações, mentes, desejos e atitudes por uma vida mais livre a Nuvem vem ao Circo promover um temporal de alegria!

Chelpa Ferro: é um grupo multimídia composto pelos artistas Luiz Zerbini, Barrão e Sérgio Mekler. Reunido pela primeira vez em 1995, o Chelpa Ferro realiza um trabalho que mistura experiências com música eletrônica, esculturas e instalações tecnológicas em apresentações ao vivo e exposições. Ao longo da sua história, o grupo apresenta trabalhos em diversos formatos: objetos, instalações, vídeos, performances, apresentações de palco e discos.

Chelpa Ferro. Foto Divulgação.

Sexta-feira, dia 22/06:

Mateus Pinguim e Dubatak: uma a combinação única de reggae, dub, rub-a-dub, stepper e dancehall une produtores do Rio de Janeiro e São Paulo no sound system e selo Dubatak.
Formado em 2006 pelo engenheiro de som e cantor Mateus Pinguim e pelo produtor Jeff Boto, a equipe de som ganhou depois o reforço do produtor e selecta Prince Leo, um dos mais atuantes na cena reggae carioca.  Hoje, essa músicas são amplificadas por um potente sistema de som fabricado artesanalmente. Ao vivo, o Dubatak já dividiu o palco em eventos e festivais no Reino Unido, França, Holanda, Portugal, Espanha e no Brasil, onde já se apresentaram com nomes como Mungos Hi-Fi, Jahtari Sound, Rãs Bernardo e outros.

Digitaldubs: Com mais de 10 anos de estrada, o Digitaldubs é primeira equipe de som especializada em reggae e dub no Rio de Janeiro. Fundado por Marcus “MPC”, o coletivo é o principal representante da cultura sound system no Brasil e vem, cada vez mais, conquistando reconhecimento na cena internacional. Com quatro álbuns e vários singles em vinil lançados pelo próprio selo (Muzamba), o grupo também está no catálogo de renomadas gravadoras internacionais como ROIR, Soul Jazz, Universal Egg, Wordsound e Man Recording e vem recebendo diversas críticas positivas na imprensa mundo afora. Em 2008, ganharam o Prêmio Orilaxé da ONG Afroreggae. As colaborações do Digitaldubs incluem lendas vivas do reggae, como os jamaicanos Ranking Joe e Earl Sixteen e o inglês Brinsley Forde (ex-Aswad), além dos brasileiros B Negão, Black Alien, Mr. Catra e muitos outros.

Tomadub: Um dos ritmos mais aclamados da atualidade, o Dubstep ganha espaço no Circo Digital, representado pelo Tomadub, composto por Felipe Mello, Leandro “Peralta” Marques, e Fabio Rocha. O intuito do coletivo é de passar para suas músicas, todas verdades vividas e emoções sintetizadas em ignorantes graves desenhados e novos timbres absolutamente loucos! O Tomadub vem produzindo e representando como um dos principais coletivos de Dubstep do Brasil.

Sábado, 23/06

Wladimir Gasper: Pedro Bernardes, ou melhor, Wladimir Gasper, leva o tom do improviso aos locais onde toca, sempre na companhia de seu case, carregado de batidas eletrônicas e orgânicas livres, uma penca de multi-efeitos, sintetizadores e mais alguns outros brinquedos.  Já trabalhou com artistas como D2, Gabriel Pensador, Bebel Gilberto, Timbalada, Carlinhos Brown, Sergio Mendes, Marisa Monte, Mario Caldato, Seu Jorge, Beck, John Legend, entre outros. Experimentando o processo de criação em outras áreas projetou um berço-harpa, que foi selecionado para a feira de Design em Dubai 2012. Dirigiu o filme de apresentação da marca para-olimpica e criou a marca sonora para ela. Participou e criou a trilha para o filme de apresentação da marca olimpica RIO2016.

Tigre Dente de Sabre: fundado em 2009 com o ímpeto de fazer música a frente de seu tempo, o show do grupo de Bragança Paulista reúne novas tecnologias e música moderna em um mesmo espetáculo. Projeções na pele dos músicos, criam iluminação, vídeo mapping e referências múltipas de Vjing,. Difíceis de classificar, sites na internet definem o gênero musical da banda em “Rave Erudi†a”.

Apavoramento Sound System: coletivo digital carioca especializado em mixagem e scratch, criação de beats, edição de vídeos, motion graphs e vj. Entre suas investidas, constam direção de videoclipes para Marcelo D2 e Adriana Calcanhotto e em programas de TV como o Sex Shake, exibido pelo canal Multishow.

Vivi Seixas: apaixonada por House, Vivian Seixas especializou- se em suas vertentes como o funky-house, tech-house e o deep-house, sempre com muito groove e influências que passam por nomes como Mark Farina, Brett Johnson, Hector Moralez, Phill Weeks e Joey Youngman, seus favoritos. Ao longo de sua trajetória, Vivi diversas vezes encheu as pistas de alguns dos locais e eventos mais renomados do Brasil como D-Edge, Pacha, Privilege, 00, RMC , Tozen, De Puta Madre,Roxy, Disco Club, Manga Rosa e Chemical Music Festival. No exterior conquistou público e espaços com apresentações na Espanha (Ilha de Menorca), EUA (São Francisco) e Uruguai (Montevidéu). Um currículo que hoje a credencia como uma das melhores DJs de house do país e justifica o 3°Lugar na categoria “Melhor DJ Feminino de House”, do DJ Sound Awards, prêmio conferido pela revista especializada DJ Sound.

Domingo 24/06

Biltre: a banda Biltre nasce da junção da banda Caraminholas com o Laranja DUB, e da necessidade artística de seus integrantes, um grupo composto por quatro jovens músicos, de integrar novas influências ao cenário musical brasileiro. Em seu show, o grupo faz uso de equipamentos sonoros eletrônicos, tecnológicos, de iluminação, vídeo mapping e letras irreverentes e atuais, sua principal característica. Aliado a isto foi criada pela banda a BananoBike: bicicleta munida de aparato sonoro e eletrônico, que permite aos Biltres interferir com seu som em um território muito mais amplo, a Rua. Arthur Ferreira, Claudio Cerrano, Diogo Furieri e Vicente Coelho, formam a banda Biltre, que inaugura na cena alternativa carioca essa nova linguagem, divulgando composições de forma inovadora, e trazendo ao público uma performance musical diferente e popular. É esse formato de show que normalmente é feito na rua, que o BILTRE traz para o pátio do Circo em pleno domingo na Lapa.

Mahmundi: Mahmundi é o primeiro projeto de Marcela Vale – musicista e compositora do Rio de Janeiro. O EP é uma reunião de referencias ouvidas por Marcela ao longo dos últimos anos em que flerta com a musica eletrônica, mas tem a poesia reflexiva brasileira. Além das vozes, Marcela toca e produz em parceria com Lucas de Paiva e os baixos de Felipe Vellozo. Uma delícia sonora tipo licor dentro de bombom. Só que com resultados mais psicodélicos.

Mahmundi. Foto Divulgação.

Super Mário Bloco: Eis que no carnaval 2012, em plena quarta de cinzas, quando todos achavam que não havia mais fôlego para nada, esses caras apertaram o “continue” e assim surgiu um novo bloco em homenagem aos videogames que tem como grande inspiração a série de jogos mais famosa de todos os tempos. Pronto, surgia o Super Mário Bloco! E agora eles que foram uma das grandes revelações do carnaval, invadem o Circo com estrelinhas, cogumelos e caixas de interrogação.

DJ Lencinho: Quando seu planeta natal estava prestes a explodir, Lencinho foi enviado por seus pais em uma cápsula espacial para o planeta Terra. Apesar de nunca ter se adaptado ao seu planeta adotivo, disfarça sua condição de alienígena com trocadilhos infames e piadas de critério duvidoso. Atua como DJ pois tem dificuldade em se socializar com humanos em eventos sociais. Assim, atrás de um par de cd-j consegue manter ilesa sua identidade de visitante da galáxia.

Fonte: http://www.festivalcircodigital.com

 

 

PÉ NA PORTA E SOCO NA CARA

16 maio

Dane-se meus amiguinhos do Resenha (hahahahahahahahaha – beijo para o Burck): sexta feira é dia de MATANZA, PORRA!

                                                                                                                                                                         foto divulgação

Não importa se você tem 12 anos (e se sua mamãe levar) ou se tem 40, o que importa é que, mesmo com toda a teatralidade agressiva de Jimmy London, o show do Matanza é um espetáculo pra lá de bom e divertido.
As músicas, uma mistura de harcorde com country, “falam de temas próximos das pessoas normais, como ressacas e dias onde a melhor solução seria mandar tudo pro inferno” – como define a própria banda.
A questão é que sexta feira, no Circo Voador, não é apenas o dia de um simples show, é dia de comemorar 3 anos do evento A GRANDE ROUBADA, que trouxe de volta ao Rio de Janeiro a vontade da cidade por shows de Rock n Roll.
A noite conta ainda com shows das bandas FLICTS (SP) e MIAMI BROS, os DJs Wagner Fester e Andrei Yurievitch (Rio Irish), as meninas do Sugar Loathe Derby Girls, participação especial do Zé Pelintra (GANGRENA GASOSA), Sketch teatral com Löis Lancaster (ZUMBI DO MATO), Stands, Vjs e Performances.  Vida longa e próspera `a Grande Roubada!

SERVIÇO:
Sexta feira, 18 de maio – 22h

-INGRESSOS-
À venda na bilheteria do Circo Voador e pontos de venda oficiais**
R$ 35 (Valor promocional/meia-entrada ou lista amiga*)
*Valor promocional válido com 1kg de alimento ou e-flyer
*( E-flyer: http://imageshack.us/f/72/120330web20.jpg/ )
*Valor promocional válido para Clube do Assinante O Globo

*LISTA AMIGA: Basta confirmar sua presença no evento
Ou através do site http://listaamiga.com/matanza
Ou então mande nomes para agranderoubada@gmail.com

**PONTOS DE VENDA:

-BILHETERIA CIRCO VOADOR-
Endereço: Rua dos Arcos s/n° – Lapa
Terça à Quinta – de 12h às 19h
Sexta – de 12h às 24h (exceto feriado)
Sábado – de 14h às 24h
Observação: Pagamento somente em dinheiro

-BOTAFOGO-
Quiosque Americanas.com Rio Sul
Endereço: Rua Lauro Müller, 116 – 4º Piso
Observação: Pagamento somente com cartão de crédito

-LAGOA-
Posto BR Piraquê
Endereço: Avenida Borges de Medeiros, s/nº
Observação: Em frente ao Parque dos Patins

-BARRA DA TIJUCA-
Posto BR Mirili
Endereço: Avenida das Américas, 3757

-VENDAS ON-LINE: http://www.ingresso.com/

Classificação 18 anos (de 12 a 17 somente acompanhado pelos pais)

SHOW NADA SURF ll RJ

1 maio

Fundada em 1993, a banda americana NADA SURF, faz show no Circo Voador nessa 4ª feira, 02 de maio.
Após 8 anos a banda volta ao Brasil para lançar seu novo álbum “The Stars Are Indifferent To Astronomy“. E o que era um power trio se transformou num quinteto fantástico: além de Matthew Caws (vocal/guitarra), Ira Elliot (bateria) e Daniel Lorca (baixo), Doug Gillard assume a 2ª guitarra e Martin Wenk faz revezamento entre teclado – percussão – trompete.
O som do Nada Surf é um coisa meio pós-grunge, misturando punk, rock alternativo e pop, parecendo, em muitos momentos, com Weezer e Pavement.

As músicas “Clear eye clouded mind”, “Waiting for something” e “When i was young”, do novo disco, “See these bones”, do álbum “Lucky is a sure thing”, e “Always love”, do disco “The weight is a gift”, estão no setlist do show.

NADA SURF
Quarta-Feira, 02 de maio
22h
Circo Voador

Infos sobre ingresso no site www.circovoador.com.br

DURAN DURAN in RIO

28 abr

A banda inglesa DURAN DURAN  apresenta canções do novo trabalho “All we need is now”, além de sucessos dos anos 80 e 90,  no Citibank Hall, segunda feira, 29 de abril (vespera de feriado).

Com mais de 30 anos de estrada, a banda volta ao Brasil, depois de 4 anos, com a formação original: John Taylor, Roger Taylor, Nick Rhodes e Simon Le Bon.

 

 

 

Quer ir ao show?

LISTA PROMOCIONAL LOULOU CHAVARRY – DURAN DURAN
R$80,00 (preço único – pista comum)
Para incluir nomes na lista é só mandar nome + sobrenome para loulou.chavarry@gmail.com até 22h de domingo (29/04).

 

OCUPAÇÃO MUSICAL JÁ

24 abr

Conta a história que o Morro da Providência é a favela mais antiga do Rio de Janeiro, ocupada em 1897 pelos soldados que voltavam da Guerra de Canudos. O nome Providência, que passou a ser usado a partir dos anos 20-30, seria uma referência a um rio nas proximidades de Canudos.

Com aproximadamente cinco mil moradores, o Morro da Providência, no Santo Cristo, recebeu a Unidade de Polícia Pacificadora em 26 de abril de 2010, e agora, 2 anos depois, a comunidade recebe o projeto SANTA MÚSICA. A Ocupação musical da comunidade acontece no dia 28 de abril, sábado, e faz parte dos preparativos na cidade para o Dia Mundial da Música.

Após os teclados no morro da Mineira e cordas no Chapéu Mangueira, chegou a vez dos sopros comandarem a terceira edição do Santa Música Faz!, no Morro da Providência. Além de grupos musicais da comunidade e participação de Rodrigo Santos, do Barão Vermelho, o evento tem como destaque as apresentações de Leo Gandelman, Paulinho Trompete e dos chorões Zé da Velha e Silvério Pontes. O projeto é patrocinado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro e pretende criar um “cinturão cultural” em torno da cidade, ocupando com arte todas as comunidades pacificadas até 2013.

Leo Gandelman. foto: Livio Campos

Sobre o SMF

O objetivo do Santa Música Faz! não é apenas de aguçar a curiosidade musical dos moradores, mas também abrir caminhos para a formação de produtores culturais locais, que possam recriar, ao longo do ano, eventos que fomentem a diversidade artística no lugar, além de emprego e renda. Em parceria com o Sebrae, 300 jovens empreendedores das comunidades pacificadas serão capacitados até dezembro de 2012, formando a “Rede de Agentes Santa Música”. O projeto integra uma série de ações que preparam o Rio de Janeiro para o Dia da Música, marcado, no Brasil, para 23 de junho de 2012 – e que acontecerá também em Paris, onde a ideia surgiu, e em outras 430 cidades do mundo, simultaneamente.

Serviço:
Santa Música Faz!
na Providência – 28 de abril de 2012 – Sábado

Horário: a partir das 16h

Programação:

Pedra Lisa, ao lado da Central do Brasil em direção a UPP da Providência (Rua Ebroino Uruguai, Gamboa) – Cortejo do grupo Maracutaia (15h)

Praça da Toca – Palco Livre (16h), Rodrigo Santos (18h) e Zé da Velha e Silvério Pontes (19h). Endereço: Rua Ebroino Uruguai, Gamboa

Largo em frente a Igreja N.S. Da Penha – Paulinho trompete (19h) e Leo Gandelman (20h) Endereço: Final da escadaria da Ladeira do Barroso, Gamboa

Cruzeiro – Palco Livre (16h), Marlon e Helo e Escola de Percussão (18h)

Endereço: Av. do Cruzeiro, 70 – Gamboa

Mais infos na página oficial do evento no Facebook – https://www.facebook.com/festivalsantamusica

I LOVE HORROR-TRASH

23 abr

Fotos Felipe Diniz

Seria um domingo sem graça, chuvoso… mas não foi!
Uma média de 2000 “camisas pretas” invadiram ontem, de forma super organizada, a Fundição Progresso.
O power trio MISFITS mostrou a que veio. Dez Cadena, Jerry Only e Chupa Cabra, todos devidamente maquiados, tocaram os maiores clássicos da banda como Astro Zombie, Skulls, Helena e Die Die My Darling, e também clássicos do Black Flag (outra banda de Dez Cadena), num show maravilhoso e sem intervalos.


Pouco tempo depois, subia ao palco, ANTHRAX, uma das bandas do seleto grupo Big Four (Anthrax, Metallica, Slayer e Megadeth). Como prometido, a banda tocou grandes sucessos como Metal Thrashing Mad, Panic, Antisocial, A.I.R, Madhouse, Indians, I Am The Law, Keep It in The FamilyBlood, e também músicas do excelente Worship Music, novo álbum da banda. Rob Caggiano, Scott Ian, Charlie Benante e Frank Bello seguraram o tranco o tempo todo, e Belladonna, o vocal da banda, foi um show a parte, roubando a cena e interagindo de forma irreverente com o público durante todo o show.